Brotas sedia o I Encontro Regional da Cadeia do Leite

O auditório do antigo prédio do Fórum, foi palco para a realização do I Encontro Regional da Cadeia do Leite no município de Brotas de Macaúbas na última sexta-feira (04), evento promovido pela Prefeitura Municipal por meio da Secretaria de Agricultura, ação do projeto “O Campo Gerando Renda”.

A manhã foi iniciada com a apresentação do artista Dinho de Forró, relembrando as músicas do saudoso “Rei do Baião”, Luiz Gonzaga, onde reuniu centenas de pessoas para participar do encontro que teve o objetivo de fortalecer e unir a cadeia produtiva do leite no âmbito regional para mostrar que é possível agregar renda produzindo de forma integrada e assim alcançar resultados para a geração de renda no meio rural.

Para o Prefeito Júnior, anfitrião do evento, o encontro é um marco para o município, um momento de construção e mudança na agricultura familiar. “É um momento para mostrar o caminho através das novas tecnologias, uma forma de enxergar um novo modelo e mudar a realidade do campo, pois com este conhecimento vocês poderão trabalhar para garantir sustentabilidade e renda. Eu como gestor, tenho a obrigação de incentivar vocês e incentivo pois acredito nesta forma de gestão e no potencial que o município tem nas diversas cadeias produtivas”, ressaltou.

No encerramento do evento aconteceu a entrega de certificados do Cadastro Estadual Florestal de Imóveis Rurais – CEFIR, para agricultores e agricultoras das comunidades de Lagoa do Meio, Lagoa de Dentro e Colônia. É mais uma ação do governo Terra de Gente Feliz através do projeto o Campo Gerando Renda, que impulsiona as políticas públicas da agricultura familiar no município.

O evento que foi marcado pelo sucesso de público e boa participação contou com a presença do Prefeito Litercílio Júnior, Secretário de Agricultura Rosimiro Sodré, Prefeito Lelei Barreto de Morpará, Prefeito Terence Lessa de Ibotirama, Prefeito e Presidente do Consórcio Velho Chico Ítalo Rodrigo, José Magalhães e Gilmário Mendes representantes da CAR/SDR/Bahia Produtiva, Mariléia Passos presidente do SINTRAF, Ubirajara Zapponi da CRIO Consultoria, Alcisso de Oliveira da Cresol, Patrick Pondé da COOPERLEITE, entre outros representantes de associações, sindicatos e cooperativas de Brotas e outros municípios vizinhos.

PALESTRAS

O primeiro palestrante foi o médico veterinário Ubirajara Zaponni que apresentou o novo conceito de cooperativa, tomando como exemplo o plano da Cooperleite de Barreiras que possui o apoio da CAR pelo programa Bahia Produtiva. O novo formato tem por base a assistência técnica efetiva constante, passando os técnicos contratados por cursos de nivelamento fornecidos pela CAR que ainda realiza a gestão das atividades desenvolvidas pelos profissionais. Acompanhamento de técnicos em campo de gestores dos negócios, com atividades e metas definidas e constantemente geridas.

O segundo palestrante foi Eduardo Duarte, Assistente Territorial da CAR na região oeste da Bahia, que apresentou o sucesso na produção leiteira em pastagens irrigadas, o pastejo de menor custo operacional na bovinocultura, trazendo exemplos de dois agricultores de sucesso que conseguiram grandes saltos de produtividade, redução de custos e, consequente, aumento de renda com o pastejo rotacionado irrigado. Para ele o maior desafio na bovinocultura de leite é a produtividade, sendo que na Bahia apresenta um cenário em que 94% dos produtores não ultrapassaram a barreira dos 100 litros/dia de leite. O maior problema a falta de profissionalismo do criador e a falta de condições adequadas ao animal.

Lucas Silva, médico veterinário e gestor da Cooperativa de Leite do Vale do Jacuípe, falou sobre o uso da palma forrageira na alimentação de bovinos leiteiros. Dando enfoque ao planejamento, pois, cada animal possui uma necessidade de alimentação e o material leva um tempo maior entre plantio e coleta.

Zaponni encerrou o ciclo de apresentação das palestras sobre p cruzamento de raças bovinas leiteiras. O principal ponto para o cruzamento de raças é o planejamento, saber onde chegar ao final do processo, avaliar as características dos animais que serão utilizados nos cruzamentos e a contribuição de cada raça com o melhoramento do rebanho, verificar o mercado quanto a absorção dos cruzados.

O planejamento deve ser sempre feito para o longo prazo, visando a evolução do rebanho de maneira cíclica ao longo dos anos alterando entre as duas origens de animais existentes (bois taurus e bois indicus).

Fonte/ Fotos: ASCOM/ PMBM

  1. Fonte de informação: COOPLAMAC
COMPARTILHAR